Scielo RSS <![CDATA[RPG. Revista de Pós-Graduação]]> http://revodonto.bvsalud.org/rss.php?pid=0104-569520120004&lang=pt vol. 19 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://revodonto.bvsalud.org/img/en/fbpelogp.gif http://revodonto.bvsalud.org <![CDATA[<b>Comparação entre subtração radiográfica digital e radiografia digital direta na detecção de reabsorções radiculares</b>]]> http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56952012000400001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A reabsorção severa da raiz diagnosticada tardiamente pode acarretar a perda dentária. Devido ao fato de a técnica de subtração radiográfica digital ser um importante recurso para detecção precoce de alterações minerais, este estudo propôs avaliar a eficiência no diagnóstico precoce da reabsorção radicular externa simulada nas regiões apical e lingual, pelas técnicas de subtração radiográfica digital e radiografia digital. Foram utilizados 14 dentes incisivos de mandíbulas humanas maceradas com reabsorções de diferentes dimensões, simuladas nas regiões apical e lingual, e radiografados com variação de ângulos de projeção. As radiografias foram subtraídas pelo programa Regeemy®, e para avaliação de desempenho dos métodos de diagnóstico, pares de radiografias periapicais e imagens subtraídas foram apresentadas a dois radiologistas. De acordo com os resultados, não foram observadas diferenças estatisticamente significantes entre os métodos na detecção de reabsorções linguais, independentemente do tamanho da lesão. Também não houve diversidade entre os métodos na detecção de reabsorções apicais, com exceção do examinador dois quanto às variações angular vertical e horizontal de 10º, utilizando o maior nível de desgaste, que apresentou a radiografia digital como método superior na avaliação em relação à subtração radiográfica. Também foi observado que o aumento do nível de desgaste permitiu melhor avaliação nas regiões de reabsorções apicais e linguais, e a menor variação dos ângulos verticais e horizontais nas detecções de reabsorções apicais e linguais permitiu uma melhor avaliação da imagem, principalmente no menor nível de desgaste.<hr/>The delay on diagnose severe root resorption can lead to tooth loss. Due to the fact that digital subtraction radiography is an important resource to detect initial mineral changes, this study aimed at evaluating the effectiveness of the digital subtraction radiography and digital radiography in early diagnosis of the simulated apical and lingual external root resorption. Fourteen human lower incisors, submitted to simulated apical and lingual resorption cavities of different sizes, imaged with different angle projection variations were included in this study. The images were subtracted by the Regeemy® program, and receiver operating characteristic analysis was used to evaluate the diagnostic performance for each imaging system, and the diagnostic accuracy of both diagnosis methods for detecting lesions was conducted by the assessment of the pairs of radiography (digital and subtracted) by two radiologists. According to the results, there were no statistically significant differences between the methods in detecting lingual resorption, independently of the lesion dimension. There was also no difference on the apical resorption detection, except by the viewer two as to 10º horizontal and vertical angles, who related that on the larger cavity, the digital radiography was more reliable than the subtraction radiography. It was also further noticed that the deeper the cavity size, the better the apical and lingual resorption detection; and the radiography taken of the apical and lingual resorption, with the smaller vertical and horizontal angles variation ensured a better assessment of the image, mainly on the shallower cavity size. <![CDATA[<b>Avaliação da microdureza do esmalte dental bovino após técnicas de clareamento caseiro, de consultório e a associação das técnicas com agentes de baixa e alta concentração de peróxidos</b>]]> http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56952012000400002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos das técnicas de clareamento caseiro com peróxido de carbamida a 16% (PC), de consultório com peróxido de hidrogênio a 35 ou 37,5% (PH) ou da associação das técnicas de clareamento com PH e PC na microdureza de superfície do esmalte de dentes bovinos. Superfícies vestibulares de 70 incisivos foram preparadas para leitura de microdureza de superfície inicial e divididas em 6 grupos experimentais e um controle sem clareamento (n = 10). Os PC foram aplicados por 8 horas/dia (durante 14 dias) e os PH foram utilizados em 3 sessões com intervalo de 4 dias entre cada sessão, com 3 aplicações do produto por sessão (12 minutos para cada aplicação). Nos grupos com associação dos peróxidos, os protocolos de clareamento foram: 1 sessão de PH + 14 dias PC a 16%. Após o término dos tratamentos, as amostras foram submetidas a uma nova leitura da microdureza de superfície. Os dados obtidos foram submetidos à ANOVA 2 fatores e teste de Tukey (5%). O tratamento clareador com PC 16% Whitegold Home e a associação com o PH Whitegold Office (PH 35%) resultaram na redução da microdureza do esmalte. O uso dos produtos Pola Night (PC 16%), Pola Office (37,5%) e a associação desses não alteraram a microdureza do esmalte. A redução da microdureza do esmalte pelo uso de agentes clareadores, assim como pela associação dos peróxidos de baixa e alta concentração, foi material dependente.<hr/>The objective of this study was to evaluate the effects of take-home bleaching using 16% carbamide peroxide (CP), in-office tooth whitening using 35 or 37.5% hydrogen peroxide (HP), or the association take-home and inoffice bleaching techniques on superficial microhardness of bovine enamel. The buccal surfaces of 70 bovine incisors were prepared for initial microhardness measurements and divided in 6 experimental and 1 unbleached control group (n = 10). The CPs were applied for 8 hours/daily during 14 days. The HPs were used in three appointments with 4-day intervals among sessions and this process was repeated 3 times (12 minutes each application). For the groups with the association of techniques, the bleaching protocol was: one session with HP plus 14 days of takehome bleaching. At the end of bleaching, the samples were submitted to the final hardness measurements. The data were analyzed by 2 ANOVA and Tukey test (5%). The take-home bleaching with 16% CP (Whitegold Home) and its association with Whitegold Office (HP 35%) reduced the enamel microhardness. The use of Pola Night (16% PC), Pola Office (37.5% HP) and their association did not alter the microhardness values. The reduction in enamel microhardness promoted by bleaching agents, as well as the association of techniques was product-dependent. <![CDATA[<b>Influência da desidratação no padrão de deformação de dentes humanos e bovinos</b>: <b>estudo in vitro</b>]]> http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56952012000400003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The aim of this study was to measure the effect of the elapsed time on micro-strain of dental structure by strain gauge test of human and bovine teeth. Ten standardized bovine incisors and ten standardized human premolars were obtained. To measure the strain it was fixed one strain gauge on the buccal of each sample and it was also performed a compression test on each of dehydration times: T0: immediately after removal from moisture; T5: after dehydration in room temperature (23 ± 1oC) for 5 minutes; T15: dehydration for 15 minutes; T45: dehydration for 45 minutes; T120: dehydration for 120 minutes; T24: dehydration for 24 hours; T24Re: dehydration for 24 hours and rehydration for 24 hours in distilled water. The results were statistically analyzed by using one-way ANOVA and Tukey’s test (p < 0.05). Mean and standard deviation values in micro-Strain (μS) of human teeth were: T0: 56.7 ± 28.5 a; T5: 56.9 ± 43.7 a; T15: 40.2 ± 29.7 ab; T45: 41.2 ± 22.1 ab; T120: 32.2 ± 22.5 ab; T24: 22.6 ± 21.7 b; T24Re: 38.5 ± 12.9 ab, and bovine teeth were: T0: 47.5 ± 15.6 a; T5: 39.2 ± 12.5ab; T15: 34.2 ± 11.5 abc; T45: 29.0 ± 7.9 bc; T120: 25.3 ± 10.5 bc; T24: 22.6 ± 10.2 bc; T24Re: 29.9 ± 13.2 bc. The μS values were decreased with increasing of the dehydration time for both teeth groups. It can be concluded that dehydration caused strain decreasing being necessary to keep the samples hydrated during strain gauge tests.<hr/>O objetivo deste estudo foi medir o efeito do tempo decorrido em microdeformação da estrutura dental por teste de extensometria de dentes humanos e bovinos. Obtiveram-se dez incisivos bovinos padronizados e dez pré-molares humanos padronizados. Para medir a deformação foram fixados extensômetros sobre a face vestibular de cada amostra, e também foi realizado um teste de compressão em cada um dos tempos de desidratação: T0: imediatamente após a remoção da umidade; T5: após desidratação em temperatura ambiente (23 ± 1°C) por 5 minutos; T15: desidratação por 15 minutos; T45: desidratação durante 45 minutos; T120: desidratação por 120 minutos; T24: desidratação por 24 horas; T24Re: desidratação por 24 horas e re-hidratação durante 24 horas em água destilada. Os resultados foram analisados estatisticamente utilizando o one-way ANOVA e teste de Tukey (p < 0,05). Os valores da média e desvio-padrão em microdeformação (μS) de dentes humanos foram: T0: 56,7 ± 28,5 a; T5: 56,9 ± 43,7 a; T15: 40,2 ± 29,7 ab; T45: 41,2 ± 22,1 ab; T120: 32,2 ± 22,5 ab; T24: 22,6 ± 21,7 b; T24Re: 38,5 ± 12,9 ab e dentes bovinos foram: T0: 47,5 ± 15,6 a; T5: 39,2 ± 12,5 ab; T15: 34,2 ± 11,5 abc; T45: 29,0 ± 7,9 bc; T120: 25,3 ± 10,5 bc; T24: 22,6 ± 10,2 bc; T24Re: 29,9 ± 13,2 bc. Os valores μS foram reduzidos com o aumento do tempo de desidratação para ambos os grupos de dentes. Pôde-se concluir que a desidratação causada promoveu maior rigidez da estrutura, sendo necessário manter as amostras hidratadas durante testes laboratoriais. <![CDATA[<b>Análise por meio do método dos elementos finitos de um protetor bucal para atividades esportivas</b>]]> http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56952012000400004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O uso de protetores bucais na prática de esportes tem ampliado espaço no contexto da prevenção de traumas bucais, bem como apresentado melhoria no desempenho ao longo de sua história. O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento do complexo bucodentoalveolar por meio do método dos elementos finitos. O estudo partiu de um modelo em formato esterolitográfico oriundo de uma tomografia computadorizada, o qual foi convertido para um modelo 3D pelo programa Rhinoceros® versão 4.0, sem protetor bucal (controle) e com protetor bucal de 4,0 mm de espessura em EVA (copolímero de etileno e acetato de vinila), os quais receberam duas cargas diferentes (500, 1000 N) no programa ANSYS® v.12 em regime quase estático e de caráter elástico linear. Pudemos observar que houve um padrão de comportamento das estruturas envolvidas quanto à dissipação das tensões geradas e ao se comparar o modelo controle com o modelo provido de protetor bucal houve uma absorção das tensões geradas em até 50%, permitindo confirmar a ação do protetor bucal em literatura e tornando o seu uso imperativo durante a prática de esportes, em especial as modalidades de maior contato.<hr/>The use of mouthguards in the practice of sports has expanded space in the prevention of oral trauma, and has presented performance improvement over its history. The aim of this study was to evaluate the behavior of complex dento alveolar buccal through the finite element method. The study was based on a template stereolitographic format come from a CT scan, which was converted to a 3D model by the program Rhinoceros® version 4.0, without a mouthguard (control) and mouthguard 4.0 mm thick copolymer of ethylene and vinyl acetate (EVA), which received two different loads (500, 1000 N) in ANSYS® v.12 under quasi-static linear and elastic character. We noticed that there was a pattern of behavior of the structures involved about the dissipation of tensions generated, and when the model was compared with the control model fitted with a mouthguard there was an absortion of the stresses generated in up to 50%, allowing to confirm the action of the mouthguard in literature and making its use mandatory for the practice of sports, especially the arrangements for closer contact. http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56952012000400005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O uso de protetores bucais na prática de esportes tem ampliado espaço no contexto da prevenção de traumas bucais, bem como apresentado melhoria no desempenho ao longo de sua história. O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento do complexo bucodentoalveolar por meio do método dos elementos finitos. O estudo partiu de um modelo em formato esterolitográfico oriundo de uma tomografia computadorizada, o qual foi convertido para um modelo 3D pelo programa Rhinoceros® versão 4.0, sem protetor bucal (controle) e com protetor bucal de 4,0 mm de espessura em EVA (copolímero de etileno e acetato de vinila), os quais receberam duas cargas diferentes (500, 1000 N) no programa ANSYS® v.12 em regime quase estático e de caráter elástico linear. Pudemos observar que houve um padrão de comportamento das estruturas envolvidas quanto à dissipação das tensões geradas e ao se comparar o modelo controle com o modelo provido de protetor bucal houve uma absorção das tensões geradas em até 50%, permitindo confirmar a ação do protetor bucal em literatura e tornando o seu uso imperativo durante a prática de esportes, em especial as modalidades de maior contato.<hr/>The use of mouthguards in the practice of sports has expanded space in the prevention of oral trauma, and has presented performance improvement over its history. The aim of this study was to evaluate the behavior of complex dento alveolar buccal through the finite element method. The study was based on a template stereolitographic format come from a CT scan, which was converted to a 3D model by the program Rhinoceros® version 4.0, without a mouthguard (control) and mouthguard 4.0 mm thick copolymer of ethylene and vinyl acetate (EVA), which received two different loads (500, 1000 N) in ANSYS® v.12 under quasi-static linear and elastic character. We noticed that there was a pattern of behavior of the structures involved about the dissipation of tensions generated, and when the model was compared with the control model fitted with a mouthguard there was an absortion of the stresses generated in up to 50%, allowing to confirm the action of the mouthguard in literature and making its use mandatory for the practice of sports, especially the arrangements for closer contact.